Endereço
3565 NE Cornell Road
Hillsboro, Oregon – EUA 97124

Telefone
+55 11 99846 1305
+1 503 726 3000

Email
william@voehaa.com.br
helicoptero@voehaa.com.br

Instrutor de Voo de Helicóptero é uma excelente profissão para você!

Após o novos PC`s terem passado no seu checkride é chegado a hora do treinamento de instrutor. Este é a única vez em que eles estarão em sala com mais pessoas. Normalmente 4. Este treinamento consiste em 36 horas ground e 20 horas de voo.

Aprenderão a parte didática e a instrução em voo, como passar a informação que possuem e a voar do lado esquerdo instruindo uma pessoa que nunca tenha entrado em um helicóptero a aprender a voar.

Durante todo o seu treinamento, o aspirantes a instrutores foi acumulando e montando seu “binder” com toda a carga de matéria que aprendeu. Chegou a hora de passar todo este conhecimento.

No treinamento em voo aprenderam como identificar situações de risco e até onde vai seu limite para levar o aluno a aprender com o próprio erro.

O Check-Ride do CFI é o considerado o maior desafio e o mais difícil na aviação americana, pois será exigido do Piloto demonstrar que possui todo o conhecimento teórico e pratico das matérias e, ainda saber ensina-las.

A escola possui uma política de contratar seus alunos (Após de formarem em PP, IFR, PC e CFI) e acumularem 200 horas, a ficarem com instrutores por até 2 anos. A escola ainda exige que seus instrutores façam o`Safaty Course` na fabrica da Robinson.

Esta possibilidade é uma das grandes vantagens da Hillsboro Aviation que possui condições e estrutura para absorver grande parte dos seus alunos que ficam até dois anos trabalhando e acumulando experiência. Na America a instrução de VFR e IFR é separada, sendo necessário se fazer 2 check`s, INVH/VFR e depois o INVH/IFR.

A aviação Americana está em outro patamar de infraestrutura e treinamento. De forma alguma estou aqui desqualificar a aviação Brasileira que, está consolidada e possui padrões internacionais de certificação e qualidade. O fato é que: A cultura, tamanho, padrões mais exigentes, voos solos, mais de 30 anos no mercado e o acesso a cursos na fábrica, por exemplo, influenciam diretamente na formação dos pilotos.